Modo de preparo dos chás e plantas medicinais

A forma de preparação dos chás é importante, alias é importante explicar antes uma coisa. Popularmente chamamos todas as infusões (que explicaremos em seguida) de chá enquanto na realidade não são, Chá na verdade são apenas 4 tipos advindos de uma única planta chamada de Camellia sinensis. Os chás derivados dessa planta são os chás preto, branco, vermelho e verde, tudo além disso não é chá, mas no Brasil temos a cultura de chamar qualquer tipo de infusão por chá.

Em nosso site e em outros você encontrará a nomenclatura de chá para qualquer tipo de erva que passa pelo processo de infusão e também de deccoção, por isso quando ler neste texto ou em outro entenda chá como qualquer erva e não apenas a Camellia sinensis

A forma de preparação dos chás é importante, nem todas são preparadas da mesma forma e o objetivo deste texto é mostrar todas as formas de se usar uma erva, não apenas em forma de chá.

Infusão

 

É a forma mais comum das pessoas extraírem os componentes químicos das plantas para usar como medicamento ou apenas como uma bebida. Talvez seja a preparação mais antigo e ainda utilizado por todos.

Infusão consiste em jogar água fervente (de 80- 90ºC) sobre a planta picada, geralmente as folhas ou flores e depois tampar a vasilha deixando em repouso por cerca de 10 minutos. Não se usa ferver folhas verdes e flores, o correto é esperar o ponto de fervura e desligar o fogo e depois jogar sobre.

A depender da utilidade da infusão é preciso consumir ainda quente ou morno como é o caso dos tratamentos para gripe e vias respiratórias. Os infusos não precisam ser consumidos apenas quente ou morno, há pessoas que preferem frio ou gelado.

É melhor consumir os chás no mesmo dia de sua preparação para que seus efeitos ainda estejam ativos. Pode-se guardar na geladeira, mas é bom consumir o mais rápido possível.

Os infusos não são utilizados apenas por via oral, há determinados tratamentos em que é preciso fazer gargarejos, compressas, banhos ou bochechos.

Decocção


 

Decocção é o termo técnico que se utiliza para falar do cozimento da planta para extrair seus substratos químicos para serem utilizados em tratamentos. Note a diferença da infusão que não tem como objetivo o cozimento.

Geralmente utiliza-se a decocção em partes mais rígidas da planta em que apenas a água fervente não traria o resultado esperado. As raízes, sementes, frutos e cascas precisam ser cozidas para conseguir fazer o chá.

O tempo de fervura vai depender da planta, mas geralmente é em torno de 5 a 10 minutos. Depois basta deixar também em repouso e coar. Algumas plantas precisam desse processo como o chá de canela (cinnamomum zeylanicum) que geralmente utilizamos ela em casca.

Uma observação importante é que folhas macias, finas e verdes não devem passar pelo processo de decocção.

Compressa

Tanto a compressa como as demais formas que veremos a seguir não chamamos de chá, mas são formas também de utilizar das plantas para buscar a cura de alguma enfermidade.

A compressa é feita com a infusão concentrada ou com o decocto da planta, mas não deve ser ingerida e sim utilizada de forma tópica, ou seja, por cima da pele. Pega-se uma gaze ou algodão embebidos no líquido para passar sobre a pele no local adequado.

Banho

O banho é outra forma de se utilizar as plantas medicinais, também para problemas geralmente de pele e não é feito para ser ingerido. Assim como a compressa é precisa fazer uma infusão bem concentrada ou um decocto da planta e tomar banho uma vez ao dia de corpo inteiro ou apenas no local atingido.

O alecrim e a lavanda são exemplos de plantas para se fazer banhos quando há um processo de irritação ou coceira na pele.

Bochecho ou gargarejo

Os bochechos e os gargarejos são indicados para problemas que envolvem a garganta ou a boca com o mau hálito, amigdalite ou irritações na garganta. Também utiliza-se o deccoto ou uma infusão concentrada, mas não deve ser ingerido.

Cataplasma

 

Também utiliza-se para casos de problemas na pele ou em casos de contusões ou entorses, há casos que se utilizam também em furúnculos.

Cataplasma é o processo de triturar a planta fresca ou não colocando entre dois panos finos ou mesmo diretamente sobre a pele na região afetada.

Maceração


 

Outra forma de utilização das ervas medicinais é pela maceração que consistem em picar a planta e depois colocá-la na água ou álcool dentro de um recipiente fechado ao abrigo da luz.

Esse tempo de contato da planta com a água ou álcool pode demorar horas, dias ou até semanas. A água utilizada para esse processo deve ser fria e isso deve feito com alguns tipos de plantas.

Uma planta muito comum utilizada por esse processo é o boldo brasileiro (P. barbatus) que muitas pessoas utilizam para problemas estomacais. Basta macerar a planta e jogar determinada quantidade de água para extrair os seus princípios ativos.

Inalação

Outra forma de conseguir utilizar dos princípios ativos das plantas é por meio da inalação que é muito utilizada para problemas ligadas as vias respiratórias. A inalação é a combinação da erva com a água fervente de forma que gerará vapor e esse será inalado.

Fonte: Guia Informativa sobre Plantas Medicinais da Horta comunitária da Faculdade de Medicina de São Paulo. 2016

Fonte imagens: mentebonita.bioextratus.com.br, mundodastribos.com